12 Junho, 2024

Corridas de trote e galope voltam ao Centro Hípico de Coimbra 22 anos depois

As corridas de trote e galope, a contar para o Campeonato Nacional, regressam no domingo ao Centro Hípico de Coimbra, depois de a pista ter estado 22 anos inativa para provas, revelou hoje o seu diretor.

© D.R

Em declarações à agência Lusa, o diretor do Centro Hípico de Coimbra, Rogério Vieira, congratulou-se com o regresso de uma prova do Campeonato Nacional de Trote e Galope ao Hipódromo do Choupal, na tarde de domingo.

“Estamos extremamente satisfeitos com este regresso à competição. Há 22 anos que esta pista estava inativa para provas, estando só a ser utilizada para os sócios passearem os cavalos”, referiu.

Rogério Vieira recordou que esta pista foi fortemente afetada pela tempestade Leslie que, em 2018, atingiu uma parte significativa da região Centro.

“A recuperação pós-Leslie foi na ordem dos 100 mil euros, permitindo que a pista passasse a servir os nossos sócios. Agora, com esta estreita colaboração com a Liga Portuguesa de Trote e Galope, conseguimos reativá-la”, destacou.

Este último investimento rondou os “seis a sete mil euros”, permitindo preparar a pista para receber o Grande Prémio do Choupal, com “um piso fantástico e uma vedação com sebes também muito boa”.

“As oito mangas já estão todas preenchidas e vamos ter mais de 60 cavalos em prova [no domingo]”, informou.

De acordo com o diretor do Centro Hípico de Coimbra, o regresso às provas “é para continuar”.

“Já estamos a tentar agendar, para o ano, a jornada inaugural do Campeonato Nacional, que será em meados de fevereiro. Contamos receber três a quatro jornadas do Campeonato Nacional ao longo do ano”, avançou.

À Lusa, revelou ainda que o Centro Hípico de Coimbra, que só tem um picadeiro coberto, está a projetar outra estrutura semelhante, embora ligeiramente mais pequena.

“O picadeiro é a zona onde os cavalos trabalham diariamente e nós temos sete, mas só um é coberto. Trata-se de um ‘handicap’ no período de inverno, que é muito rigoroso de outubro a fevereiro”, sustentou.

Por isso, estimam construir um novo picadeiro coberto no verão de 2024, de forma a estar disponível no inverno do mesmo ano.

O investimento ronda “os 50 mil euros”, tendo já sido adquirida a estrutura metálica, faltando “o telhado e a base”.

“Contamos deslocar a Escola de Equitação para esse novo picadeiro coberto e, assim, libertar o outro picadeiro coberto só para os sócios”, esclareceu.

A Escola de Equitação, atualmente com cerca de 60 alunos, é “a maior aposta do Centro Hípico de Coimbra”, que gostava de aumentar o número de praticantes.

“Queremos chamar mais gente da cidade para o Centro Hípico. Pretendemos aproximar, o mais possível, o Centro Hípico da cidade”, concluiu.

O Centro Hípico de Coimbra tem atualmente 160 sócios de várias idades, contabilizando 92 cavalos.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados