23 Maio, 2024

MNE iraniano acusa Estados Unidos de darem “luz verde” a ataque israelita em Damasco

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano acusou hoje os Estados Unidos de darem “luz verde” a Israel para o ataque ao consulado do Irão na Síria que matou há uma semana sete oficiais militares da Guarda Revolucionária, incluindo dois generais.

© D.R.

“Gostaria de dizer em voz alta, daqui de Damasco, que a América tem responsabilidade pelo que aconteceu e deve ser responsabilizada”, disse Hossein Amirabdollahian aos jornalistas durante uma visita à capital síria, onde se encontrou com o seu homólogo, Faisal Mekdad.

Amirabdollahian também se avistou com o Presidente sírio, Bashar Al-Assad, com quem discutiu a situação na Faixa de Gaza e a situação mais ampla na região, de acordo com um comunicado do gabinete da presidência da Síria.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano inaugurou a abertura de uma nova secção consular num edifício próximo do que foi bombardeado há uma semana e justificou as suas afirmações dizendo que Washington e “dois países europeus” não condenaram o ataque às instalações diplomáticas.

Hossein Amirabdollahian reiterou as promessas de Teerão de que responderá ao ataque, amplamente atribuído a Israel, e que parece indicar uma escalada nos ataques de Israel a altos responsáveis do Irão, que apoia o grupo islamita Hamas na guerra contra as forças de Telavive na Faixa de Gaza e o movimento xiita libanês Hezbollah, que tem dirigido ataques aéreos quase diários contra solo israelita.

O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, reafirmou hoje o apoio do grupo libanês a uma resposta militar de Teerão ao ataque que matou o general Mohammad Reza Zahedi, um alto oficial militar da Força Quds da Guarda Revolucionária Iraniana, e que agravou os receios de um conflito em espiral no resto do Médio Oriente.

Embora Israel tenha conduzido ataques regularmente contra oficiais militares e aliados iranianos, a morte de Zahedi foi o golpe mais significativo para Teerão desde que um ‘drone’ dos Estados Unidos matou o líder da Força Quds, general Qassim Soleimani, em 2020, em Bagdade.

Israel, que raramente reconhece ataques contra alvos iranianos, disse que não tinha comentários sobre o ataque na capital síria.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados