20 Junho, 2024

Mexa-se! Caminhadas diárias de 11 minutos reduzem o risco de morte prematura

©D.R.

Uma caminhada em passo acelerado de apenas 11 minutos, realizada todos os dias, é suficiente para reduzir o risco de morte prematura, de acordo com um estudo divulgado esta terça-feira por investigadores da universidade britânica de Cambridge.

Os investigadores apontam quem uma em cada dez mortes precoces poderia ser evitada se todos conseguissem fazer pelo menos metade da quantidade recomendada de atividade física.

O estudo, publicado no British Journal of Sports Medicine, argumenta que 11 minutos por dia, ou seja, 75 minutos por semana, de atividade física moderada a intensa, como uma caminhada rápida, é suficiente para reduzir o risco de doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral (AVC) ou vários tipos de cancro.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, responsáveis por 17,9 milhões de mortes em 2019, enquanto os cancros causaram a morte de 9,6 milhões de mortes em 2017, sublinham os investigadores.

De acordo com o estudo, a atividade física, particularmente de intensidade moderada, reduz o risco de doenças cardiovasculares e cancro, sendo que o sistema público de saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) recomenda que os adultos façam pelo menos 150 minutos de atividade de intensidade moderada ou 75 minutos de atividade de intensidade vigorosa por semana.

Para explorar a quantidade de atividade necessária para ter um impacto benéfico na prevenção de doenças crónicas ou morte prematura, investigadores da Universidade de Cambridge analisaram dados de todas as evidências.

Os cientistas avaliaram 196 artigos revistos por pares, abrangendo mais de 30 milhões de participantes de 94 grandes estudos, para reunir dados sobre associações entre níveis de atividade e risco de doença cardíaca coronária, cancro e morte prematura.

Com 75 minutos semanais de atividade de intensidade moderada, o risco de sofrer morte prematura foi reduzido em 23%.

“Fazer alguma atividade física é melhor do que nenhuma… Se considerar viável fazer 75 minutos por semana, pode tentar intensificar gradualmente até a quantidade total recomendada”, destacou Soren Brage, um dos autores do estudo.

Os mesmos 75 minutos por semana de atividade moderada também são suficientes para reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares em 17% e cancro em 7%, de acordo com o estudo.

Por outro lado, James Woodcock, que também participou na investigação, acrescentou que o estudo concluiu “que existem benefícios substanciais para a saúde coronária e que reduzem o risco de cancro mesmo que sejam apenas 10 minutos por dia”.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados