24 Maio, 2024

Operadores preveem aumento do preço da laranja apesar da isenção de IVA

©D.R.

A maior associação portuguesa de operadores de citrinos prevê um aumento do preço da laranja nos próximos meses, devido à quebra na produção em cerca de 50% e apesar da redução para 0% do IVA aplicado a este fruto.

“Relativamente à laranja, é quase garantido, ou garantidamente, que os preços vão aumentar, porque a produção vai ser muito baixa, uma quebra de cerca 50%, e neste caso os preços sobem”, assegurou na terça-feira à agência Lusa o presidente da Associação de Operadores De Citrinos Do Algarve (AlgarOrange), José Oliveira.

O responsável pela associação que reúne 40% dos operadores de citrinos do Algarve insistiu que “uma coisa é este abaixamento de 06% dos produtos que formam o cabaz” de produtos com IVA, que agora passará a ter uma taxa de 0%, e no qual se inclui a laranja e “outra coisa é o mercado a funcionar”.

“Na mesma forma que no ano passado houve uma grande produção e os preços foram baixos, […] havendo pouco produto, a tendência será, naturalmente, para os preços subirem”, explicou José Oliveira.

Para o presidente da AlgarOrange, “normalmente quando há uma superprodução, nos anos a seguir há um abaixamento da produção”, apesar de as condições climatéricas também influenciarem os preços: “Isso é normal ao longo dos anos”, acrescentou.

Sobre a medida negociada pelo Governo de baixar o IVA, o responsável da AlgarOranje acha que “é uma medida correta”, mas voltou a dizer que “não se pode é ficar com a expectativa que esta medida vai travar um possível aumento de preços, porque no caso do produto laranja certamente não irá acontecer, devido à realidade que temos em termos de produção.

O Conselho de Ministros reuniu-se na segunda-feira, por via eletrónica, para aprovar a proposta de lei que prevê a aplicação transitória de uma isenção de Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) aos produtos alimentares do cabaz alimentar essencial saudável, como medida de resposta ao aumento extraordinário dos preços dos bens alimentares.

A aplicação de uma taxa de 0% de IVA num cabaz de 44 produtos alimentares essenciais e o reforço dos apoios à produção vão custar cerca de 600 milhões de euros, anunciou no mesmo dia o primeiro-ministro.

António Costa tinha referido, durante a apresentação da medida, que após aprovação da proposta de lei conta com o empenho dos partidos para a sua tramitação rápida.

O cabaz de produtos com IVA zero apresentado pelo Governo inclui atum em conserva e bacalhau, além de vários tipos de frutas, entre as quais a laranja, legumes, laticínios, carne e ovos, para combater a subida dos preços alimentares.

A lista conta com vários produtos essenciais, como pão, batatas, massa e arroz e vários legumes, incluindo cebola, couve portuguesa e brócolos.

Entre os 44 produtos apresentados estão ainda frango, carne de porco e azeite.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados