17 Abril, 2024

Presidente do México acredita que Trump vai abandonar plano de muro fronteiriço

O Presidente do México disse acreditar que Donald Trump vai abandonar o plano de construir um muro na fronteira entre os dois países caso o ex-líder dos Estados Unidos seja reeleito.

© Facebook de Andrés Manuel López Obrador

“O muro não funciona!”, exclamou numa entrevista à televisão norte-americana CBS Andrés Manuel López Obrador, afirmando acreditar que Trump não vai prosseguir com a construção “porque precisa do México”.

“Entendemo-nos muito bem. Assinámos um acordo comercial que tem sido favorável para ambos os povos. Ele sabe disso. E o Presidente [dos Estados Unidos Joe] Biden também”, disse Obrador, numa entrevista transmitida no domingo, na estação de televisão CBS.

Num encontro entre López Obrador e Trump, durante o mandato do ex-presidente dos EUA ((2017-2021), o Republicano disse ao líder mexicano que contrabandistas tinham conseguido escavar túneis sob as barreiras já instaladas.

“[Trump] ficou em silêncio, depois começou a rir e disse-me: ‘Não consigo ganhar-te’”, lembrou López Obrador, numa entrevista ao popular programa de notícias norte-americano 60 Minutes, gravada na sexta-feira, na Cidade do México.

O Presidente mexicano sublinhou que as “causas profundas” da crise migratória na fronteira entre os dois países são de cariz humano e não criminal e devem ser abordadas e analisadas de forma séria.

López Obrador defendeu que a solução passa por Washington se comprometer a dar 20 mil milhões de dólares (18,5 mil milhões de euros) por ano aos países mais pobres da América Latina e das Caraíbas.

O governante mexicano apelou ainda a Washington para aliviar as sanções contra Venezuela e Cuba e legalizar os milhões de mexicanos que imigraram sem autorização para os Estados Unidos e têm cumprido as leis norte-americanas.

O Presidente do México avisou que, caso Washington não tome estas medidas, “o fluxo de migrantes vai continuar”, mas reiterou o compromisso em ajudar a lidar com a crise migratória.

Os EUA expulsaram ou expatriaram quase 600 mil estrangeiros nos últimos dez meses, a maioria migrantes que cruzou de forma ilegal a fronteira sul do país com o México.

A vaga de migrantes tem sido descrita pela oposição Republicana como uma invasão e tornou-se uma das questões centrais na campanha para as eleições presidenciais norte-americanas de novembro.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados