15 Julho, 2024

Polígrafo mente uma vez mais para atacar o CHEGA

Em causa, está o apelo do presidente do partido, André Ventura, às forças policiais para se juntarem no Parlamento, fora e dentro das galerias, esta quinta-feira, dia em que os deputados irão debater o subsídio de risco.

© Folha Nacional

O Polígrafo qualificou como “Verdadeiro” e, um dia depois, como “Impreciso”, a questão sobre se André Ventura apela em vídeo “aos polícias para que entrem pelo Parlamento adentro” no dia 4 de julho quando, na verdade, deveria ter classificado como “falso”, pois a informação atribuída ao líder do CHEGA é falsa.

Em causa, está um vídeo difundido nas redes sociais do CHEGA e do líder do partido, onde Ventura apela aos agentes da PSP e militares da GNR que “venham ao Parlamento” na próxima quinta-feira, 4 de julho, dia em que os deputados irão debater um projeto-lei do CHEGA que visa determinar “a aplicação do regime de atribuição do suplemento de missão criado pelo Decreto-Lei n.º 139-C/2023, de 29 de dezembro, à Guarda Nacional Republicana, à Polícia de Segurança Pública e ao Corpo da Guarda Prisional”.

Este domingo, o Polígrafo escreveu que o CHEGA estava a tentar “intimidar a casa da Democracia”, referindo-se a “um paralelismo entre o suposto apelo do líder do CHEGA aos agentes da PSP e GNR, para que entrem pelo Parlamento adentro, e o famigerado ataque ao Capitólio dos EUA em janeiro de 2021, instigado por Donald Trump”.

Mas, esta segunda-feira, em nota editorial, o Polígrafo retifica e diz que a “expressão literal ‘entrem pelo Parlamento adentro’ não foi realmente proferida por Ventura”.

“A classificação do artigo foi alterada às 13h00, do dia 1 de julho, de ‘Verdadeiro’ para ‘Impreciso’”, corrigiu o Polígrafo. Contudo, continua a insistir de que há a presença de “imagens da invasão ao Capitólio dos EUA que são exibidas no vídeo em causa.”

No entanto, não existem quaisquer imagens em nenhum dos vídeos publicados pelo partido.

No vídeo em questão, Ventura encontra-se numa sala da Assembleia da República, a falar para a câmara, e afirma que “no dia 4 [de julho] precisamos de vocês, para mostrar ao país a força, o entusiasmo e também o desespero e injustiça que vocês sentem nas vossas vidas. Preciso que venham para o Parlamento, nas galerias e fora do Parlamento, mostrar a força, a força que este país sempre reconheceu às polícias, às forças de segurança, e a sua justiça – ou melhor, a injustiça com que têm sido tratadas”.

“No dia 4 às 15 horas, todos ao Parlamento para fazer a correção de uma injustiça histórica às nossas polícias e forças de segurança”, deixa o apelo.

Portanto, o Polígrafo usa vídeos manipulados e colocados a circular nas redes sociais que desvirtuam por completo a mensagem do Presidente do Partido CHEGA e classifica a notícia como ‘imprecisa’. A questão é que não há nada de impreciso, pois no vídeo original, publicado nas redes sociais do partido e de André Ventura, nunca é usada a expressão “pelo parlamento adentro” e não são utilizadas imagens da invasão ao Capitólio.

Posto isto, a avaliação ao fact check feito pelo Polígrafo é Pimenta na Língua!

Folha Nacional

Folha Nacional

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Receba o Folha Nacional no seu e-mail

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados