24 Abril, 2024

CHEGA exige medidas para incentivar jovens a ficar em Portugal

O presidente do CHEGA, André Ventura, exigiu hoje medidas para incentivar os jovens a ficar no país e criticou as políticas do Governo.

O líder do partido CHEGA visitou  esta tarde, a Futurália, uma feira dedicada à educação que decorre em Lisboa e termina no sábado.

Em declarações aos jornalistas, o líder do Chega considerou que “o Governo tem falhado tanto aos jovens”, que “estão sem futuro em Portugal”, e indicou que marcou presença nesta iniciativa, acompanhado por vários deputados, para lhes transmitir que “o futuro governo não lhes vai falhar”.

“E esse é o nosso compromisso para os próximos anos. Dizer aos jovens não vão ter que emigrar, que vão poder ter aqui em Portugal oportunidades e serão pagos ao nível do que os melhores países da Europa fazem”, afirmou.

Apontando que a “emigração jovem continua elevada”, André Ventura defendeu que é necessário inverter este ciclo.

“Hoje somos também um país de imigração, mas queremos é que os nossos jovens fiquem, tenham aqui boas oportunidades, consigam sair de casa dos pais, ter a sua casa, constituir família, nada disso está a acontecer. Temos uma juventude que está mais empobrecida face aos países mais ricos da Europa e temos que inverter isso”, defendeu, salientando que “os jovens merecem um investimento maior”.

Questionado sobre o manifesto assinado por dezenas de personalidades, incluindo o ex-ministro Manuel Heitor e a ex-secretária de Estado adjunta e da Educação Alexandra Leitão, defendendo o fim gradual das propinas, o presidente do Chega defendeu que “o ensino deve ser tendencialmente acessível a todos”.

“Nós devemos caminhar para que o ensino seja acessível a todos, de forma universalmente gratuita”, indicou. No entanto, considerou que deve ser avaliado “se nos casos das pessoas com mais altos rendimentos ou com rendimentos muito elevados, se a medida também se deve aplicar ou não”.

O líder do Chega indicou também que o seu partido entregou hoje no parlamento um projeto de lei com vista ao fim das taxas de admissão e emolumentos para a prestação de provas de doutoramento.

André Ventura foi abordado por jovens que pediram para tirar fotografias ao longo da visita aos dois pavilhões da Feira Internacional de Lisboa onde decorre a Futurália e afirmou que “eventualmente já é uma espécie de campanha”.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados