24 Abril, 2024

Fogo de Odemira ainda mobiliza quase 1.000 operacionais no terreno

© DR

O incêndio que deflagrou no sábado no concelho alentejano de Odemira e entrou nos municípios de Monchique e Aljezur (Faro) ainda mobiliza no terreno quase 1.000 operacionais e seis meios aéreos, mesmo estando dominado desde quarta-feira.

Às 10:20, mantinham-se no terreno 989 operacionais, apoiados por 335 veículos e seis meios aéreos, segundo informações publicadas na página de Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O incêndio, que foi dado como dominado às 10:15 de quarta-feira, ainda mantém vários pontos preocupantes, sobretudo na frente sul, pelo que os bombeiros deverão manter-se no terreno nos próximos dias, disse fonte da Proteção Civil num ‘briefing’ realizado na quarta-feira.

A frente sul do incêndio toca os concelhos algarvios de Monchique e Aljezur (distrito de Faro), onde as chamas também entraram, tendo chegado a rodear o centro da vila da Odeceixe, em Aljezur, na segunda-feira à tarde.

A área ardida provocada por este incêndio abrange cerca de 8.400 hectares, num perímetro de 50 quilómetros.

Desde o início do fogo, foram assistidas pelas equipas médicas no local 42 de pessoas e nove foram transportadas para unidades hospitalares, sem registo de situações de gravidade.

O incêndio destruiu pelo menos duas casas, uma de primeira habitação no Vale Juncal, em São Teotónio, concelho de Odemira, e outra, que será uma casa de férias, na zona da Boavista, em Odeceixe, concelho de Aljezur.

As chamas destruíram igualmente uma unidade de turismo rural, também no Vale Juncal, com os proprietários a queixarem-se da falta de assistência dos bombeiros.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados