26 Fevereiro, 2024

Exportações e importações caem 3,1% e 2,0% em outubro, pelo 7.º mês seguido

As exportações e as importações diminuíram 3,1% e 2,0%, respetivamente, em outubro face ao mesmo mês de 2022, destacando-se as quebras nos fluxos de combustíveis e lubrificantes, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

© D.R.

“Em outubro de 2023, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de -3,1% e -2,0%, respetivamente (-8,6% e -12,7%, pela mesma ordem, em setembro de 2023), destacando-se os combustíveis e lubrificantes em ambos os fluxos (-22,2% nas exportações e -23,0% nas importações), refletindo decréscimos em volume (-5,9% e -7,3%, respetivamente) e a redução dos preços destes produtos no mercado internacional (-17,3% e -16,9%, pela mesma ordem)”, apontam as estatísticas do comércio internacional do INE.

Este é o sétimo mês consecutivo de quebra nas transações de bens de Portugal com os mercados externos, que já não recuavam desde os primeiros meses de 2021.

Excluindo combustíveis e lubrificantes, o INE refere que se registou “um decréscimo de 1,7% nas exportações, enquanto as importações, após dois meses em queda, aumentaram 1,3% (-8,4% e -10,1%, respetivamente, em setembro de 2023)”.

Em outubro de 2023, o instituto refere que quase todas as grandes categorias económicas registaram decréscimos nas exportações, com destaque para os combustíveis e lubrificantes (-22,2%), refletindo as descidas em volume (-5,9%) e dos preços destes produtos no mercado internacional (-17,3%), principalmente das gasolinas.

Já os produtos alimentares e bebidas foram “a única grande categoria de produtos a registar um aumento (+10,1%)”.

Nas importações, o INE salienta o decréscimo dos combustíveis e lubrificantes (-23,0%), que reflete as descidas em volume (-7,3%) e dos preços destes produtos no mercado internacional (-16,9%), principalmente do gás natural e óleos brutos de petróleo.

Aponta ainda a descida de fornecimentos industriais (-3,6%) e o acréscimo de material de transporte e acessórios (+24,8%).

No mês em análise, os índices de valor unitário (preços) registaram variações de -4,6% nas exportações e -5,9% nas importações (-4,7% e -6,9%, respetivamente, em setembro de 2023; em outubro de 2022, as variações tinham sido +14,9% e +13,8%).

Excluindo os produtos petrolíferos, registaram-se decréscimos “menos expressivos”, de -2,9% nas exportações e de -4,7% nas importações (-1,6% e -4,6%, respetivamente, em setembro de 2023; em outubro de 2022, as variações tinham sido +13,1% e +10,2%).

Em outubro de 2023, o défice da balança comercial atingiu 2.900 milhões de euros, o que representa acréscimos de 18 milhões de euros em termos homólogos e de 669 milhões de euros face ao mês anterior.

Os combustíveis e lubrificantes representaram 21,9% do défice da balança comercial em outubro (31,6% em setembro de 2023; 28,8% em outubro de 2022), pelo que o saldo da balança comercial expurgado do efeito destes produtos totalizou -2.264 milhões de euros em outubro de 2023, o que corresponde a aumentos do défice de 212 milhões de euros em termos homólogos e de 738 milhões de euros em relação ao mês anterior.

Analisando os principais países clientes e fornecedores de Portugal em 2022, o INE salienta as diminuições das exportações com destino ao Reino Unido (-20,6%), maioritariamente de veículos e outro material de transporte, aos Países Baixos (-21,9%) e a Espanha (-2,2%).

Aponta ainda o acréscimo das exportações para os Estados Unidos (+20,1%), sobretudo produtos de químicos (medicamentos) que, “em grande parte, tiveram por finalidade transações após trabalho por encomenda (sem transferência de propriedade)”.

Em outubro relativamente a setembro, as exportações e as importações voltaram a aumentar, +3,4% e +10,4%, respetivamente (+17,7% e +9,9%, pela mesma ordem, em setembro).

Já considerando o trimestre terminado em outubro de 2023, as exportações e as importações diminuíram 6,4% e 10,1%, respetivamente, em relação ao período homólogo, (-9,0% e -12,1%, pela mesma ordem, no terceiro trimestre deste ano).

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados