15 Abril, 2024

UE horrorizada com a morte de uma centena de civis que esperavam por ajuda

O alto representante da União Europeia (UE) para a Política Externa mostrou-se hoje “horrorizado” com a morte de civis, que esperavam por ajuda humanitária, num ataque em Gaza, que constitui “uma grave violação do direito humanitário internacional”.

© Facebook Josep Borrell

 

“Estou horrorizado com a notícia de outro massacre em Gaza de civis que estavam desesperados por ajuda humanitária. Estas mortes são totalmente inaceitáveis. Privar as pessoas de ajuda alimentar constitui uma violação grave do direito humanitário internacional”, afirmou Josep Borrell na rede social X.

O responsável pela diplomacia do bloco europeu acrescentou que “o acesso humanitário desimpedido em Gaza deve ser garantido”.

Segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza, controlado pelo Hamas, mais de 100 pessoas morreram e pelo menos 760 ficaram feridas no ataque israelita.

O exército israelita afirmou ter disparado contra uma multidão que representava “uma ameaça” durante a distribuição de alimentos.

O ataque, que motivou uma reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU, ocorreu na quinta-feira durante uma distribuição de alimentos no norte de Gaza.

Estas mortes elevam para mais de 30 mil os mortos na Faixa de Gaza, a maioria mulheres e crianças, na guerra em Gaza que começou em 07 de outubro, após um ataque terrorista contra Israel realizado pelo grupo islamita Hamas que matou 1.200 pessoas e raptou mais de 240.

Agência Lusa

Agência Lusa

Folha Nacional

Ficha Técnica

Estatuto Editorial

Contactos

Newsletter

© 2023 Folha Nacional, Todos os Direitos Reservados